Revisão bibliográfica ou pesquisa de campo?

Esta é uma dificuldade recorrente entre os estudantes de graduação. Muitas instituições deixam o aluno livre para escolher entre estas duas técnicas de pesquisa, encorajando-o a se interessar mais sobre a metodologia para, assim, poder decidir o melhor caminho para o seu TCC. E vc, já decidiu a sua pesquisa? Pois bem, aqui vão alguns conceitos e dicas que poderão auxiliar na sua decisão:

Revisão bibliográfica é aquela pesquisa que busca se aprofundar em determinado tema através de publicações científicas já existentes (livros, teses, artigos) nas quais pesquisadores renomados já fizeram uma busca detalhada sobre o tema e encontraram (ou não) os resultados esperados. Geralmente estes estudos são publicados como livros (à disposição nas bibliotecas ou à venda nas livrarias) ou no formato de artigos científicos, ficando disponível em portais acadêmicos. O aluno deverá construir sua pesquisa com o máximo de informação possível, de modo a extrair dos autores escolhidos a base teórica que possibilitará construir a resposta para a pergunta-problema e assim alcançar o objetivo geral da pesquisa. Não é uma regra, mas a pesquisa de revisão bibliográfica é indicada para cursos cujo objeto de pesquisa também tem origem em publicações, como é o caso do Direito ou das Ciências Contábeis, cujo objeto de pesquisa é a lei ou a aplicação da lei.



Pesquisa de campo é realizada com uma experimentação prática, podendo envolver pessoas, animais, máquinas, fenômenos naturais, etc. Em geral, busca-se avaliar determinada situação em um público específico, tabulando os resultados e indicando uma tendência. Em geral, a pesquisa de campo, embora mais desafiadora e gratificante, costuma ser mais trabalhosa, pois não exime o pesquisador de realizar uma breve pesquisa bibliográfica que sustente seus resultados preliminares e suas hipóteses. Ademais, requer adotar requisitos padronizados da pesquisa, que deverão ser apresentados para um comitê da instituição. Após realizar o trabalho de campo (entrevistas/observações/experiência) , o pesquisador (estudante) deverá tabular e interpretar os resultados numéricos do experimento, buscando justificar seus achados com postulados teóricos enunciado nas hipóteses da pesquisa. É bastante comum em ciências da saúde e sociais, como Educação Física, Fisioterapia, Assistência Social, entre outras.



Portanto, a regra é que não existem regras para a melhor escolha da sua técnica de pesquisa. Entretanto, uma vez decidida, a técnica escolhida será mandatória na condução dos estudos até o resultado final. Tudo dependerá da sua área-foco e dos objetivos a serem alcançados. Nestas horas, a ajuda de um professor experiente, qualificado, pode ser decisiva pois as opções geralmente não são claras para o estudante de graduação. Outro ponto: nada impede que um estudante de Direito ou Contábeis proponham um trabalho com pesquisa de campo, contemplando questionários/entrevistas de público nas ruas, com tabulação final dos dados e análise estatística. Da mesma forma, pode acontecer de um estudante de Fisioterapia escolher uma pesquisa de revisão bibliográfica. Não há impedimentos. Portanto, sugerimos combinar sua pesquisa direitinho com seu orientador, ele é a pessoa mais indicada para lhe tirar estas dúvidas. Desejamos boa sorte e muito sucesso em sua pesquisa!


Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square